Blog
Gestão Empresarial
Cuidado: O responsável por enviar os arquivos digitais ao fisco é o empresário!

Cuidado: O responsável por enviar os arquivos digitais ao fisco é o empresário!

É de extrema importância que a geração dos arquivos Sintegra ou Sped Fiscal/ Contribuições seja feita de forma correta, sem erros, e enviado dentro do prazo estipulado pela SEFAZ, caso contrário isso poderá acarretar em problemas, podendo levar a sua empresa para o "buraco".

 

Mas a grande maioria dos empresários não dá a devida importância a esta obrigação por não ter ciência ou por preferir deixar sob responsabilidade da contabilidade. O fato é que o DESCONTROLE FISCAL DA EMPRESA pode levar a surpresas muito desagradáveis quando a empresa passa por alguma fiscalização da Receita Federal e/ou Receita Estadual.

 

A contabilidade pode realizar tal procedimento, mas a obrigação continua sendo única e exclusiva do empresário que responderá sozinho perante ao fisco em caso de problemas.

 
É necessário ficar atento com as obrigatoriedades considerando que existe a previsão de penalidades na lei, como pagamento de multas e geração de arquivos de forma retroativa quando:
-  o envio não foi realizado;
-  foi entregue em atraso;
-  em desacordo com as informações reais;
-  entregue dentro do prazo mas em branco, fato comum nas contabilidades.
 
Para evitar problemas e manter a empresa longe dos olhos do Fisco, a dica para o empresário é: matenha-se permanentemente alinhado com seu contador e escolha um fornecedor de software que tenha tradição, competência e esteja perto de você.
 
Afinal a lei é bem clara ao informar que a responsabilidade da geração é do CONTRIBUINTE, ou seja, da empresa, conforme disposto no Anexo VII Art.46 e Art.50 do RICMS/MG de 2002.   Veja:

 

(?) Art. 46. São obrigados à Escrituração Fiscal Digital (EFD) todos os contribuintes do ICMS, a partir de 1º de janeiro de 2014, mantidos os prazos de obrigatoriedade estabelecidos anteriormente pela legislação. (?)

(?) Art. 50. O contribuinte observará o disposto no Ato COTEPE ICMS nº 9, de 18 de abril de 2008, para a geração do arquivo relativo à Escrituração Fiscal Digital, quanto à definição dos documentos fiscais e as especificações técnicas do leiaute. (...)
 
 
É importante observar também o prazo para armazenamento dos arquivos e recibos de envio, pois a Legislação Tributária informa que para a exigibilidade de tal comprovação o prazo é de 5 anos, conforme disposto Art.96 RICMS/ MG: "São obrigações do contribuinte do imposto, observados forma e prazos estabelecidos na legislação tributária, além de recolher o imposto e, sendo o caso, os acréscimos legais:
§ 1° Nas hipóteses dos incisos II e III do caput deste artigo, quando os documentos e os livros se relacionarem com crédito tributário:
I - sem exigência formalizada, o prazo de arquivamento dos mesmos é de 5 (cinco) anos e será contado a partir do primeiro dia do exercício seguinte àquele em que o lançamento poderia ter sido efetuado;(...)"
 
Fonte:
http://www.fazenda.mg.gov.br/empresas/legislacao_tributaria/ricms_2002_seco/anexovii2002_3.htm
http://www.fazenda.mg.gov.br/empresas/legislacao_tributaria/ricms_2002_seco/partegeral2002_5.htm
25 / Nov / 2019
Carlos José

Comente esta publicação